sábado, 16 de outubro de 2010

Frases Dispensáveis

Palavras formam frases. Ou o conjunto de substantivos, adjetivos, verbos, locuções, adjuntos (e toda essa parafernália) são responsáveis pela formação delas. Existem frases ou expressões de grande significação, como aquelas que demonstram asco ou adoração, aquelas que ditam regras ou a ausência delas, enfim, todas elas transmitem informações das quais necessitamos, ou então que são de grande valia.


Sem falar daquelas frases ditas num silêncio extremamente profundo, onde apenas a respiração se faz presente, e os olhos, magicamente, se encontram para transmitir, com célebre exatidão, tudo aquilo que as palavras não seriam capazes.


Mas, em contrapartida, existem aquelas expressões que não servem para absolutamente nada (ou quase nada), e são ditas apenas por “capricho” ou para disfarçar embaraçosos silêncios.


“Vai passar” não consola ninguém e não ajuda em nada.


“Desculpe qualquer coisa”, seria um constrangimento por existir?


“A gente se fala”, nada mais abstrato. Um dia, uma hora dessas, daqui um tempo, talvez na próxima encarnação.


“Eu não disse?” serve para provar que o indivíduo tem vocação para ser vidente. E também não ajuda em nada.


“Já passei por isso também” (às vezes seguindo de “e quem não passou, ainda vai passar”), para mim é uma das piores frases que alguém pode pronunciar. Simplesmente não consola. Eu, ao menos, nunca fiquei melhor em saber que não fui a única. Além de que cada um de nós sente, seja lá o que for, de forma única. Então é necessário pronunciar que já teve uma experiência igual.


Enfim, ainda acredito que o silêncio é a melhor das alternativas quando realmente não se tem algo de útil para falar. Aliás, acredito que o silêncio é, em alguns casos, interpretado de forma errada. Ele aparenta ser, muitas vezes, um castigo ou algo que demonstra a vontade do próximo de não falar, o que nos leva a pensar que tem algo de errado acontecendo. Muito se engana quem assim pensa. O silêncio é o melhor remédio quando não se tem o que dizer. Prefiro o silêncio a “abobrinhas” que só servem para “encher linguiça”. Prefiro o silêncio a falar por falar. Prefiro o silêncio a frases dispensáveis.

4 comentários:

Shiro disse...

Oi, moça. Só passei pra dar um alô =)
Tem uma frase dispensável bem conhecida. Quando vc passa no caixa do supermercado com o que vc foi comprar e a menina te pergunta: "Mais alguma coisa?"
Gostei do seu blog.

Um abraço.

SHIRO

Carina disse...

Oi Shiro!
Agradeço a visita e o comentário.

Eu não disse que têm frases dispensáveis espalhadas por todos cantos? Hahaha :P

Grande abraço!

Débora Rodrigues disse...

Ooi, estou seguindo... ótimos textos, e concordo plenamente com você, melhor que o silencio, somente o sorriso acompanhado de um abraço apertado, na falta do que falar, nao há soluçao melhor!!! Um beijo, parabéns xD

Donminique Flúmen disse...

Olá Carina, ótimo texto. Você tem o dom, mulher.

Cuide-se e fique firme.

Abraço!