domingo, 10 de outubro de 2010

Coitadismo

Às vezes sou acometida por uma indignação extremamente profunda, pra não dizer visceral, por conta de certos comportamentos e certos modos de lidar com diversas coisas, as quais acabo presenciando. Pois é. É bem isso mesmo. Têm certas coisas que, ultimamente, me deixam meio indignada e causam até repulsão. Uma delas é a síndrome causada pelo vírus "Aedes Demim", conhecida como a "Síndrome do Coitadinho" ou coitadismo.


Os sintomas do paciente acometido pela Síndrome do Coitadismo são bastante peculiares e de fácil percepção. E, além disso, muitos indivíduos sofrem desse mal. É só parar e observar.


O coitadinho se vale de seu estado clinicamente desfavorável como desculpa para a preguiça física e mental, o conformismo, para a negação de sua responsabilidade, para com a involução de seu trabalho e emula, psicologicamente, um pseudo-consolo para justificar, camuflar, alimentar e perpetrar as próprias limitações e erros. O indivíduo que sofre de coitadismo, desenvolve, ainda, uma empatia com o miserável, o pobrezinho, o sofredor e alimenta um repúdio primitivo àquele que consegue vencer, chegar lá e ser considerado o melhor. O coitadinho, portanto, não só acha que não tem condições de crescer às custas de seu próprio trabalho como ainda espera que ninguém mais também o tenha.


O pior de tudo, é que esse tipo de enfermidade cria ilusões de que tudo deveria ser dado sem o menor esforço, bastando, para isso, apenas que o doente desejasse algo. Como consequência, o paciente passa a viver seus dias num estado rancoroso, reclamando de tudo e de todos pela sua má sorte, a qual, obviamente, ele atribui aos demais, menos a si mesmo. Mudando de assunto, é por isso que, atualmente, a política é como é. Os votos vão para aquele que, através de ações muito bem pensadas, conquistam a massa acometida pelo coitadismo e que segue a "Lei do Menor Esforço". Bem, mas isso é assunto para outro dia.


O certo é que não devemos ficar sentados lamentando as mais diversas problemáticas da nossa vida, e muito menos esperar que tudo seja nos dado de mão beijada por pena ou compaixão. Não quero que meu texto pareça um capítulo de livro de autoajuda, mas o que está faltando para algumas pessoas é fazer acontecer, é acreditar na própria capacidade. Acreditar que se pode ir além pelas próprias mãos, pelas próprias ações, pela própria personalidade. Não pelo fato de receber qualquer tipo de benefício que cai do céu, sem mais, nem menos. Somos nós que devemos correr atrás daquilo que almejamos para nossas vidas, além de aceitar tantas outras coisas sem apelar para o coitadismo. Afinal, não somos nós que temos as rédeas da nossa vida? Se não está bom assim, mude. Não sinta-se coitado. Corra atrás. Não se acomode nem espere. Seja o autor da sua própria história e não entregue as rédeas da sua vida a ninguém... NINGUÉM!

3 comentários:

Fabi disse...

Ah conheço muita gente com essa Sindrome, sei bem como é isso ;)

Carina disse...

Oi Fabi!
Pois é, tem muita gente assim...

Agradeço sua visita e seu comentário. Volte sempre que quiser.

Grande abraço.

Nathalia Nicolosi disse...

Ú coitado! (rs) Realmente... Tem muita gente que espera que tudo caia do céu!
Sobre a minha postagem, sim; é algo muito polêmico, mas achei um absurdo aquele vídeo. Onde esse mundo vai parar?
E eu também odeio erros de português, vejo que nos daremos bem! kkk
Também estou te seguindo

Beijo!